Causas Psicológicas da Obesidade

Leia gratuitamente três livros por mês através do aplicativo do autor (Android).

A guerra contra a balança deve estar ligada inicialmente à mente e depois à boca, mas a maioria das pessoas invertem esta ordem. Saiba mais.

O senso comum costuma dizer que “fulano” é gordo devido à genética que herdou de um (ou dos dois) pais. Alguns chegam a afirmar até que a tendência a engordar facilmente é herdada de avós ou tios. Mas onde se encaixa, nesta afirmativa, a parcela de culpa das causas psicológicas da obesidade?

Sim, o cérebro e seus comandos também podem levar uma pessoa a engordar de forma indireta e em pouco tempo. Seria possível então o emagrecimento de um indivíduo ocorrer apenas modificando seus pensamentos? Sim.

Mantenha a calma! Não jogue fora os produtos milagrosos que você comprou e parcelou em 6 vezes. Sua forma de pensar pode provocar o emagrecimento, porém, seus hábitos alimentares devem ser sempre saudáveis para que você consiga ótimos resultados.

Para entendermos melhor o quão poderoso pode ser seu padrão de pensamento sobre seu peso, vamos analisar um exemplo.

Viviane vive um romance maravilhoso com Lucas. Infelizmente, 2 semanas antes do casamento, Lucas vem a falecer. Viviane fica profundamente triste e, em 1 mês, perde 8 quilos.

Este “milagre” do emagrecimento foi ocasionado por algum produto milagroso? Obviamente que não. A tristeza diminuiu o apetite de Viviane a ponto do corpo perder forçadamente 8 quilos de gordura.

Esta equação do organismo (tristeza = comer menos) pode ter o resultado alterado, dependendo da situação. Temos então uma equação que muitas pessoas experimentam: tristeza = comer mais.

Participe agora mesmo do canal do autor no Telegram para participar dos sorteios semanais!

Uma das linhas da Psicologia, a Psicanálise, atribui a culpa de tal fato à necessidade de aliviarmos a aflição através do comer ou beber e o início deste hábito viria desde berço.

O bebê está faminto, ou está com medo, ou está com frio, ou está com sono… A mãe traz ele para perto, encosta-o em um de seus seios, o bebê começa a sucção do leite materno e logo está quetinho, dormindo, aliviado.

O ser humano cresce com este comportamento cravado em seu inconsciente e tende a repeti-lo, mesmo na fase adulta, através do incessante hábito de comer.

Crendo na Psicanálise ou não, devemos concordar que muitas vezes a tristeza nos leva a comer ou beber para distração e alívio. Um bom sabor prazeroso faz bem nas horas mais tristes.

E que tristezas podem transformar o hábito de comer em um vício destrutivo?

  • Autoestima baixa
  • Sentimento de rejeição
  • Solidão
  • Sentimento de fracasso
  • Pessimismo
  • Ansiedade
  • E outros sentimentos negativos autodestrutivos

Talvez você esteja lutando contra a balança há anos e não sabe o porquê de não ver resultados. Sendo assim, seu foco deve ser sua mente e não a sua boca. Tudo começa no pensamento.

Procure um psicólogo e leia bons livros de autoajuda que te façam refletir. Cuide da sua alma e só assim terá a vitória sobre a obesidade.

Conheça os testes gratuitos para descobrir seu temperamento, medir sua ansiedade, etc.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *