Entendendo a Espiritualidade e Humanidade

Antes de tudo, leiamos 2 Coríntios 2:14-17 para entendermos o capítulo 3 exposto abaixo.

Será que com isso, estamos começando a nos recomendar a nós mesmos novamente? Será que precisamos, como alguns, de cartas de recomendação para vocês ou da parte de vocês? Vocês mesmos são a nossa carta, escrita em nosso coração, conhecida e lida por todos. Vocês demonstram que são uma carta de Cristo, resultado do nosso ministério, escrita não com tinta, mas com o Espírito do Deus vivo, não em tábuas de pedra, mas em tábuas de corações humanos. Tal é a confiança que temos diante de Deus, por meio de Cristo. Não que possamos reivindicar qualquer coisa com base em nossos próprios méritos, mas a nossa capacidade vem de Deus. Ele nos capacitou para sermos ministros de uma nova aliança, não da letra, mas do Espírito; pois a letra mata, mas o Espírito vivifica. O ministério que trouxe a morte foi gravado com letras em pedras; mas esse ministério veio com tal glória que os israelitas não podiam fixar os olhos na face de Moisés por causa do resplendor do seu rosto, ainda que desvanecente. Não será o ministério do Espírito ainda muito mais glorioso? Se era glorioso o ministério que trouxe condenação, quanto mais glorioso será o ministério que produz justiça! Pois o que outrora foi glorioso, agora não tem glória, em comparação com a glória insuperável. E se o que estava se desvanecendo se manifestou com glória, quanto maior será a glória do que permanece! Portanto, visto que temos tal esperança, mostramos muita confiança. Não somos como Moisés, que colocava um véu sobre a face para que os israelitas não contemplassem o resplendor que se desvanecia. Na verdade as mentes deles se fecharam, pois até hoje o mesmo véu permanece quando é lida a antiga aliança. Não foi retirado, porque é somente em Cristo que ele é removido. De fato, até o dia de hoje, quando Moisés é lido, um véu cobre os seus corações. Mas quando alguém se converte ao Senhor, o véu é retirado. Ora, o Senhor é o Espírito e, onde está o Espírito do Senhor, ali há liberdade. E todos nós, que com a face descoberta contemplamos a glória do Senhor, segundo a sua imagem estamos sendo transformados com glória cada vez maior, a qual vem do Senhor, que é o Espírito. – 2 Coríntios 3:1-18

Se refletimos a glória do Senhor, é porque a cada dia estamos nos tornando mais parecidos com Cristo (semelhantes a Jesus) e isso ocorre quando deixamos o Espírito Santo guiar a nossa humanidade.

Devemos deixar o Espírito guiar a nossa humanidade. Somos todos humanos, mas precisamos deixar Deus dirigir esta humanidade.

3 pontos que confirmam uma espiritualidade verdadeira

1. Quando entendo que a trajetória da vida é escrita pelo Espírito no coração humano. Somos seres espirituais passando por uma experiência humana. Não podemos criar um personagem, uma fantasiosa aparência… Devemos tirar o véu. (Ler Fp 2:5-8) O arrependimento não está na aparência, mas sim na obediência.

2. Quando entendo que a capacidade não é humana e sim do Espírito. A obra não acontece pelo que sabemos, mas é pelo Espírito Santo e o que Ele quer fazer através de nós.

A religião criou esteriótipos: homem / homem de Deus.

“Não posso mostrar que sou fraco”, alguns dizem, mas por que não? Somos homens. (Ler 2Co 12:9)

“Não posso ficar irado”, outros dizem, mas por quê? Podemos nos irarmos e não pecar.

“Não posso fazer se não fui preparado profissionalmente”, mas de onde vem a capacitação? Do Pai.

“Tenho que manter uma espiritualidade para ter Deus, por merecimento e através de sacrifícios”, ler Ef 2:8-10.

“Aquela pessoa carrega exclusivamente a presença de Deus e mudará a minha vida”, mas todos nós podemos ter a presença do Senhor.

Tudo vem do Senhor. Ler Mc 10:17,18. Jesus sempre mostrava o Pai.

Se não conhecermos o Caminho, sempre tentaremos ganhar Deus pelas próprias forças. Sem Ele, é só teologia expressada. Sem Ele, são só informações e regras impostas.

3. Quando entendo que a glória está no Espírito que é eterno e traz liberdade para o homem.

O que é e como viver em liberdade?

É viver em um meio onde temos paciência para lidar com cada pessoa, independentemente da maturidade de cada um.

É estar resolvido, é entender onde o Espírito Santo te colocou mesmo que tenhamos que passar pelo vale da sombra da morte (Sl 23).

Não é somente adorar individualmente, mas também coletivamente (Hb 10:25) para juntos vermos as mesmas coisas. Quando Deus governa no coletivo não há confusão (At 2). Não se trata de visões que dividem o Corpo, isto é, estratégias, pois a verdadeira visão é Jesus, o Cabeça da Igreja.

A palavra do Senhor veio a mim, dizendo: “Antes de formá-lo no ventre eu o escolhi; antes de você nascer, eu o separei e o designei profeta às nações”. Mas eu disse: “Ah, Soberano Senhor! Eu não sei falar, pois ainda sou muito jovem”. O Senhor, porém, me disse: “Não diga que é muito jovem. A todos a quem eu o enviar você irá e dirá tudo o que eu lhe ordenar. Não tenha medo deles, pois eu estou com você para protegê-lo”, diz o Senhor. O Senhor estendeu a mão, tocou a minha boca e disse-me: “Agora ponho em sua boca as minhas palavras. Veja! Eu hoje dou a você autoridade sobre nações e reinos, para arrancar, despedaçar, arruinar e destruir; para edificar e para plantar”. – Jeremias 1:4-10

Antes de Deus te colocar sobre os reinos, Ele diz: “olha, vê”. Se não vermos, não daremos a resposta que o lugar precisa. Adoração coletiva é para vermos as mesmas coisas.

Ficarei no meu posto de sentinela e tomarei posição sobre a muralha; aguardarei para ver o que ele me dirá e que resposta terei à minha queixa. Então o Senhor respondeu: “Escreva claramente a visão em tabuinhas, para que se leia facilmente. Pois a visão aguarda um tempo designado; ela fala do fim, e não falhará. Ainda que se demore, espere-a; porque ela certamente virá e não se atrasará”. – Habacuque 2:1-3

Observe esta clareza de visão. Esta é a visão daqueles que estão alinhados com Deus. Nossa função como filhos é deixar a visão clara. Para isso, precisamos estar juntos.

Lembre-se: é o Espírito que fará o que for necessário, Ele guia, Ele capacita, Ele traz a liberdade para sermos resolvidos e cooperarmos para o Reino e para a glória de Deus Pai.

– Sermão ministrado por Pr. João M. Mantello, dia 02/05/21 em Araçatuba/SP

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.