Minha Miséria e Sua Graça

Sou criatura das Tuas mãos Mas pelo pecado tornei-me o pior Não há nada que minhas mãos façam Que as Suas não façam infinitamente melhor Então por que, Senhor, me escolheu? Seu Filho entregou, seu sangue verteu Enquanto distante eu caminhava Em sua misericórdia me converteu Nada posso te entregar Além da minha vida, a minha paixão O Senhor poderia me banir para sempre Mas escolheu acolher o meu coração Já não sou pobre, nem mesmo mortal Em carne sim, um dia partirei Estarei seguro mesmo diante da morte Pois por trás desta vida aguarde-me o Rei – Poema “Minha Miséria e Sua Graça” de Danilo H. Gomes

Deixar uma resposta