Paciência: à Semelhança de Jesus

Meus amados irmãos, tenham isto em mente: Sejam todos prontos para ouvir, tardios para falar e tardios para irar-se, pois a ira do homem não produz a justiça de Deus. Portanto, livrem-se de toda impureza moral e da maldade que prevalece, e aceitem humildemente a palavra implantada em vocês, a qual é poderosa para salvá-los. – Tiago 1:19-21 Para sermos semelhantes a Cristo, um dos pontos principais é a paciência. Alguns conceitos da paciência: longanimidade, resistência, tolerância e perseverança. • O paciente, através do Espírito Santo, tem uma atitude bondosa, flexível, conciliadora e atitude de servo (1Tm 3:2,3). Esta paciência acolhedora começa em casa. • O paciente tem resistência para suportar os ataques do mau (2Tm 2:23-25). Por resistir, tal pessoa sempre preza pelo bom relacionamento (Gl 6:9). • O paciente tem a paciência trabalhada na tribulação, isto é, em meio às dificuldades e aflições (Tg 5:10-11). Cada dificuldade é uma oportunidade de aumentarmos a paciência. Fiquem felizes nestas circunstâncias (Rm 12:12; Rm 5:3,4; Tg 1:2-4). • O paciente é longânimo pelo Espírito que o habita (Gl 5:22; Rm 2:4; 2Pe 3:9). Qual é a importância da paciência na vida do filho de Deus? É uma virtude fundamental que confirma que a pessoa foi regenerada pelo Espírito Santo de Deus. Reflete a maturidade do caráter cristão para a glória de Deus. Traz a direção do Senhor para a própria vida. Consequências da falta de paciência: Decisões erradas, imediatismo. Não recebe o que vem de Deus. Resulta em obras da carne como brigas, conflitos, disputas e razões individualistas. Esta pessoa não vive o Corpo em unidade e comunhão (Cl 3:12). – Sermão ministrado por Pr. João M. Mantello, dia 25/04/21 em Araçatuba/SP.

Deixar uma resposta