Melhore Sua Autoestima Olhando Para Dentro

Muitas histórias chegaram aos meus ouvidos sobre indivíduos que eram fascinados pela beleza e a buscaram incessantemente, o que trouxe até os mesmos muitos “amigos” e fãs. O final destas histórias? Muitos destes acabaram exagerando em suas buscas e foram parar em macas hospitalares ao lado de seus familiares e nada mais. No final das contas somente sua família estava ao seu lado. Não é a família muito mais importante do que a beleza? Para muitos, não. Procurar sempre melhorar não é algo proibido, pelo contrário, isso é até indicado por muitos psicólogos, afinal, o ser humano deve estar em constante evolução, caso contrário, sua tendência é passar pela depressão. O grande erro está em não se aceitar como é. Reclamar constantemente de si mesmo e não aceitar-se é o mesmo que olhar nos olhos de Deus e dizer “odeio a criação que o Senhor fez! Ignoro todo o meu organismo que de uma forma milagrosa e até hoje incompreensível pela ciência mantém meu corpo vivo, pois não possuo uma aparência satisfatória”. Um cozinheiro experiente gasta uma quantia enorme de dinheiro para preparar um bolo para sua amada esposa. Passa horas em frente ao fogão e a mesa. Usa os ingredientes das melhores marcas do país e não atrasa um segundo sequer no tempo de preparo. Um ato de amor bonito, concorda? Infelizmente este mesmo cozinheiro peca em algo pequeno. A aparência do bolo não fica tão chamativa. O sabor está maravilhosamente incomparável, porém sua aparência não está tão agradável quanto. Sua esposa chega do trabalho, cansada. É recebida com um caloroso abraço do marido e este a leva até seu delicioso bolo. Ao ver o bolo, a mulher esboça traços em seu rosto que denunciam nojo. Diz que jamais colocaria um farelo daquele bolo em sua boca, vira as costas e vai direto para o chuveiro tomar seu banho rotineiro. O marido, decepcionado, toma o bolo, o mesmo que lhe tirou horas de seu dia e custou-lhe muito dinheiro, e joga-o no lixo. Ficou chocado com esta história? Talvez você faça o mesmo quando o assunto é autoestima. Muitos ignoram o sabor doce de suas almas e focam somente no que há externamente. Enquanto seu organismo funciona de uma forma fantástica, o sujeito reclama de seu nariz grande ou de sua barriga saliente. A garota é inteligente, simpática, possui ideias únicas, mas todo o foco está em seu rosto não tão chamativo e em seu corpo que não segue o padrão imposto pela sociedade. Tentei dedicar-me a academia várias vezes durante os últimos anos. Sonhava em ter músculos notáveis espalhados pelo corpo todo. Levantava pesos acima do que eu devia levantar. Estava tomado pela pressa de ter um corpo esbelto. Em certo dia, na adolescência, uma garota, cujo não esqueço o nome e nem o rosto, me disse que, se eu fosse um pouco mais gordo e tivesse um corpo dentro dos padrões, as meninas finalmente me notariam e iriam me paquerar. Talvez isso tenha me marcado. Não satisfeito em exagerar nos exercícios, tomei muitos comprimidos e vitaminas que prometiam me auxiliar em minha busca pelo corpo perfeito. Se eu registrar aqui a informação de que não obtive resultados, estarei mentindo. Ganhei mais de dez quilos e alguns músculos. Sabe que melhoras significativas estes ganhos me trouxeram? Nenhum. Um bom tempo após ter desistido dos alteres e flexões, decidi treinar outra coisa: meu cérebro. Desenvolvi o hábito da leitura e passei a ler livros diariamente. Ao contrário da academia, os livros me proporcionaram um desenvolvimento fantástico. Passei a falar melhor, escrever melhor, ler melhor, pensar melhor, calcular melhor, enfim, os benefícios foram (e ainda são) inúmeros. Se cada um daqueles “bombados” da academia trocasse uma hora semanal de malhação por uma hora semanal de leitura, com toda certeza teríamos muito mais do que corpos bonitos; teríamos mentes sadias. Ora, quando estes mesmos monstros dos músculos abandonarem esta rotina, em pouco tempo perderão boa parte do que ganharam. Vida injusta. Este exemplo referente as academias que dei é apenas uma das consequências deste mundo movido pela aparência. Invejo as pessoas que, antes de mim, chegaram à conclusão sobre o quão superficial é a busca pela beleza. Elas, com toda certeza, foram mais felizes do que eu. Não sei como está a sua autoestima neste momento, mas se ela está afetada pela frustração de não ter a beleza que o mundo exalta lhe deixo um conselho: reflita, pois você está deixando de ser feliz por algo fútil. Há aqueles que acham que teriam mais amigos e seriam mais felizes se fossem mais bonitos. Pobres iludidos. Eu, particularmente, prefiro ter pouquíssimos amigos que me amam pelo que sou do que ter muitos colegas que apenas estão comigo pela minha capa e não pelas páginas da minha alma. Existe também um grupo de pessoas mais iludidas ainda. Aqueles que acham que ficarão eternamente solteiros porque não são belos como os artistas da televisão. Em todos meus anos de existência, as únicas pessoas que vi chegar a terceira idade sem cônjuge, chegaram a este ponto por incompatibilidade com os possíveis pares que passaram por suas vidas, ou seja, nada relacionado à beleza. A mídia tem um poder grandioso em suas mãos, o poder de influenciar pessoas. Não é atoa que o preço para fazer propagandas em veículos de mídia como a televisão ou o Youtube custe uma fortuna. Ao assistir uma propaganda estamos diante de uma bomba para nossas mentes. O conjunto de imagens e sons denominado propaganda, plantam informações e conceitos no mais profundo da mente humana, o inconsciente. Não sabe que relação a mídia e a propaganda têm com problemas na autoestima? Já te explico. É comum ver pessoas com má aparência nestes comerciais? Você já viu alguma mulher obesa apresentando uma propaganda de cerveja? Não sei você, mas eu nunca vi. Nenhum publicitário deseja ter seu produto anexado ao que não é belo. Sendo assim, uma mensagem sutil é diariamente reforçada: pessoas que não são muito belas são desprezíveis, inúteis. É uma pena pensar que massas estão sendo submetidas a esta lavagem cerebral. A indústria da beleza comemora enquanto quem está distante da perfeição física (a maioria esmagadora da humanidade) sofre com as exigências do próprio eu. Você possui duas escolhas. Ser como as massas manipuladas ou escolher ser feliz como é. Garanto a você que as pessoas que aprenderam a ver a beleza além do que os olhos carnais podem ver são imensamente mais felizes do que os viciados nas academias. Olhos que enxergam a essência da beleza da alma e da vida desfrutam de alegrias que as pessoas movidas pelo aparente jamais desfrutarão. Trechos do livro: A Feiura da Beleza

Deixar uma resposta