O Riacho de Querite

Um profeta chamado Elias, de Tisbé, na região de Gileade, disse ao rei Acabe: — Em nome do Senhor, o Deus vivo de Israel, de quem sou servo, digo ao senhor que não vai cair orvalho nem chuva durante os próximos anos, até que eu diga para cair orvalho e chuva de novo. (1 Reis 17:1)

Elias era um profeta exercendo o seu ministério, cuidando dos interesses do Senhor em Israel, colocando em risco a sua popularidade, seu conforto, sua casa, seu estilo de vida, a provisão de suas necessidades, os seus sonhos, sua felicidade pessoal e até mesmo a sua vida.

Elias era alguém completamente rendido ao plano que o Senhor tinha para ele, ainda que isso significasse abrir mão de tudo: sua rotina, seu conforto, sua liberdade e tudo o que ele amava.

Quantos de nós fariam o mesmo? Se não sacrificarmos nossos próprios interesses, jamais conseguiremos viver pelos interesses do Senhor, como Elias viveu.

Ser levado pelo vento do Espírito implica em deixar todo apego de lado, toda a bagagem, para nos tornarmos pessoas leves, e assim sermos levados por onde a Sua vontade nos guiar.

Somente as pessoas que vivem um vida de renúncia pessoal conseguem experimentar o sobrenatural cuidado do Pai em sua plenitude, porque o Senhor cuida daqueles que se entregam completamente a Sua vontade.

Então o Senhor Deus disse a Elias: (1 Reis 17:2)

Uma frase simples, que nos ensina uma lição tão preciosa: o Senhor só fala com aqueles que tem um relacionamento com Ele, que estão comprometidos, que são seus amigos. Ouvir a voz de Deus é um privilégio para aqueles que estão perto, pois são estes que estão disponíveis para seguir a Sua direção, ainda que isso os leve para lugares desconfortáveis.

Elias suportou o isolamento, a escassez e o desconforto por causa do Senhor. Sua atitude de obediência ao chamado de Deus o obrigou a deixar para trás a sua vida, sua casa e até mesmo a sua terra.

Quantos de nós estão prontos para isso?

Nós sempre queremos e esperamos que a direção de Deus nos leve a um lugar melhor, a uma promoção no trabalho, a um lugar de abundância, de prosperidade, a um lugar que agrade a nossa carne, que nos faça felizes, mas nem sempre é assim.

A boa, agradável e perfeita vontade do Senhor para Jesus era a cruz. Não é diferente conosco. Todo sucesso no Reino de Deus passa pela cruz, pela morte do eu, pela morte da carne.

Todos os homens que viveram grandes coisas com Deus deixaram tudo de si para trás.

O Senhor nos faz uma proposta de parceria: “- Você deixa tudo de si e eu te dou tudo de mim”. E Ele já nos deu tudo, através de Jesus.

Essa parceria custa tudo para nós, porque custou tudo para Ele, o preço que jamais poderíamos pagar. Quando entendemos a magnitude, a profundidade e a extensão do que Ele fez por nós, compreendemos o quão imerecedores dessa parceria nós somos, e então a aceitamos com enorme gratidão e alegria, e passamos a ouvi-Lo e a seguir a Sua direção.

— Saia daqui, vá para o leste e esconda-se perto do riacho de Querite, a leste do rio Jordão. (1 Reis 17:3)

Ah, o riacho de Querite… Este foi o lugar que o Senhor providenciou como moradia, segurança e sustento para Elias.

Qual é o seu riacho? Qual é o lugar que o Senhor tem provido para o seu sustento nesse tempo de escassez?

Não é o melhor lugar do mundo, preferíamos estar em outro lugar. Mas é uma etapa importante e necessária para aprendermos acerca do cuidado de Deus para conosco.

Que Ele te revele qual é o seu riacho. Que Ele nos ensine a sermos gratos por ele, por este tempo, pela provisão Dele sobre as nossas vidas, seja como for.

Que Querite não seja um local ruim aos nossos olhos, que possamos aprender a usufruir desse lugar, a sermos alegres por ele e felizes nele. Porque o Senhor nunca nos abandona e jamais o fará.

Você terá água do riacho para beber; e eu mandei que os corvos levem comida para você ali. (1Reis 17:4)

Querite é o lugar onde recebemos o suficiente. Não há abundância ali, não há conforto, mas o Senhor nos dá tudo o que precisamos.

Em um tempo de tanto consumismo, status, inversão de valores, onde o ter é mais importante do que o ser, ainda que muitos não tenham coragem de admitir isso, aprender a ser feliz com o que se tem, e não com o que se quer é uma arte.

Uma arte que torna o espírito livre, a alma leve e o corpo são. Algo que nos liberta para vivermos exatamente aquilo que Deus tem para nós, nem mais, e nem menos, e isso basta.

Elias obedeceu à ordem do Senhor e foi e ficou morando perto do riacho de Querite. (1 Reis 17:5)

Elias obedeceu a ordem do Senhor e fez de Querite a sua morada. Ele não desprezou a etapa e nem o cuidado que Deus tinha para Ele naquele momento. Precisamos passar por Querite, isso faz parte do nosso crescimento, do nosso aprendizado, da nossa evolução. Andar com o Senhor é sempre um processo, e não podemos pular partes deste processo, pois isso pode nos trazer grande prejuízo. As lições do presente são importantes para as etapas do futuro.

Quais lições o Senhor quer te ensinar agora? Será que temos nos aplicado em apreender as lições do presente, ou estamos cheios de preocupação a respeito do futuro? O futuro nunca vai chegar se não aprendermos a lição do hoje.

Ele bebia água do riacho, e os corvos vinham trazer pão e carne todas as manhãs e todas as tardes. (1Reis 17:6)

Elias se alimentou do que o Senhor lhe ofereceu, ele não foi buscar algo melhor aos seus olhos em outro lugar. Ele se deleitou no que o Pai lhe oferecia, na presença do Pai, na proteção do Pai e no cuidado do Pai. Ele aprendeu a usufruir e a se contentar exatamente com aquilo que o Senhor lhe ofereceu naquele momento.

Aprender o segredo do contentamento é uma etapa fundamental na vida do verdadeiro cristão. Nos traz a liberdade e a maturidade de não dependermos das circunstâncias para sermos felizes e gratos ao Senhor.

Aprender o contentamento nos faz completamente livres para obedecermos ao Senhor e vivermos plenamente a Sua vontade, não importa qual seja. É uma parte importante e fundamental da morte do eu e uma grande demonstração de humildade, paz, alegria, confiança e segurança no Senhor. As pessoas mais felizes dessa terra com toda certeza são aquelas que já estão satisfeitas com o que possuem.

Mas algum tempo depois o riacho secou por falta de chuva. (1 Reis 17:7)

Mas Querite é só uma etapa. Não é o destino final. Por isso precisamos aprender ali o máximo que pudermos, para seguir em frente quando chegar o tempo, porque em algum momento Querite irá secar.

E o que faremos? Seguiremos para uma nova etapa com o Senhor, isso se estivermos prontos.

Talvez seja justamente a nossa atitude, a nossa fé, o nosso posicionamento que dite o tempo que teremos de permanecer em Querite. Talvez, apenas talvez, se nos aplicarmos com afinco para aprendermos as lições que o Senhor quer nos ensinar ali, e se as aprendermos de verdade, Querite seja apenas uma passagem rápida na nossa vida. Então não se apegue muito, não queira ficar apenas pelo medo do desconhecido. Anseie sempre avançar na sua caminhada com o Senhor, Ele sempre tem algo novo para fazer.

Deixar uma resposta