O Medo do Novo e a Ansiedade: Supere

Novidade. Nos preocupamos demasiadamente com o novo. O grande combustível da ansiedade é a escuridão do futuro. Ninguém fica ansioso pelo tempo presente, pois neste caso o sentimento de medo é que se encaixa. Quando ponderamos a respeito desta diferença, percebemos a quantidade de energia que gastamos por nada. Com o passar do tempo, o homem que antes descansava diante da capacidade de Deus para criar, agora se esforça absurdamente para criar com os próprios braços. Inesperadamente, em algumas ocasiões da vida, percebemos a nossa luta pelo novo. Uma luta inútil. Vejamos novamente o Jardim. Deus não ordenou a Adão que criasse novos elementos. Sua função era: cuidar. Sua obrigação era obedecer. Seu prazer era ter comunhão com o Rei dos reis. E se Adão ficasse horas e horas tentando criar novas coisas enquanto o Jardim se deteriorasse? Vemos esta analogia tornar-se real atualmente. O cristão do século atual se deixa levar por este medo inútil. Refiro-me ao medo de não conseguir o novo. Gasta-se tempo e saúde exageradamente para conseguir aquela bolsa na faculdade, aquela promoção no emprego, aquela paquera… enquanto oram pedindo que Deus provenha estas mesmas “necessidades”. Ora, como você pede algo a alguém sendo que você mesmo(a) fará? É exatamente esta complexidade que viso trazer até você hoje. Pedimos tanto a Deus para que Ele abra novos caminhos em nossa jornada, mas nos desesperamos porque não conseguimos abrir estas novas trilhas em meio ao caos. Enquanto isso, nosso jardim jaz abandonado. Não anulo de nenhuma maneira a lei do plantio e da colheita. Esta lei é bíblica e atemporal. Não se deixem enganar: de Deus não se zomba. Pois o que o homem semear, isso também colherá. Gálatas 6:7 Plantio e colheita. Não seriam exatamente estas algumas das funções de Adão no Jardim? Duas palavras são reveladas nas Escrituras: cuidar e cultivar. Novamente cito aquele versículo. O Senhor Deus colocou o homem no jardim do Éden para cuidar dele e cultivá-lo. Gênesis 2:15 (ênfase acrescentada) Um dos significados da palavra cultivar é “tratar a terra, lavrar”. Não sei ao certo se Adão precisava plantar e depois colher, mas de alguma forma ele cuidava das terras onde pisava. Como consequência de seu trabalho, o Jardim se mantinha belo e agradável. Por que nos afastamos tanto do sentido original da criação? Há uma diferença em criar e cultivar neste contexto. Plantamos de acordo com as sementes que temos. As sementes que, na hora perfeita, Deus nos dá. Os frutos produzidos pelas árvores também nos darão novas sementes. Porém não ficamos satisfeitos em usar aquilo que Deus tem nos fornecido. Nos deixamos levar pela ilusão de que precisamos de mais. De algo novo. Uma novidade que finalmente nos permitirá conhecer a verdadeira felicidade. Tomo como exemplo um executivo que almeja a promoção em seu emprego. Ele deseja isso com todas as forças. Como consequência, se viu preso atrás das grades da ansiedade. “E se eu não conseguir? Conto tanto com este aumento salarial!” é o que ele pensa diariamente. Sua ansiedade tem o distraído constantemente e despertado um estresse cada vez maior. Já pediu a promoção em oração a Deus, mas no fundo de seu ser não crê que Deus o abençoará se antes ele não perder gotas de sangue pelo seu objetivo. Então qual seria a função do Pai nisto se este executivo faz o “possível e o impossível” pelo seu sonho? Seu casamento já não anda bem. Seus filhos insistem por atenção. Estão crescendo sem o pai. A única missão: ganhar mais dinheiro. Este executivo quer novidade de vida. Mas… e seu jardim interior? Onde estão os cuidados? Por que este executivo não cumpre a mesma ordem que Adão recebeu de seu Criador? Talvez esta seja a sua realidade. Talvez você esteja ansioso(a) por estar lutando incansavelmente por um lugar ao sol neste sistema frenético. Seu tempo agora é escravo desta possível novidade. O lazer tornou-se uma mera palavra em sua vida. E o jardim, como vai? Agora eu tenho a faca que pode cortar esta corda que te prende ao fardo que você tem carregado. Preste atenção. Você não foi criado(a) para escrever coisas novas em sua história. O Pai não te deu esta missão. Mesmo que você deseje muito, não poderá acrescentar sequer uma hora de vida à sua existência. Quem de vocês, por mais que se preocupe, pode acrescentar uma hora que seja à sua vida? Visto que vocês não podem sequer fazer uma coisa tão pequena, por que se preocupar com o restante? Lucas 12:25,26 A palavra final vem do Senhor. Queremos tanto as novidades que o mundo pode oferecer, no entanto, o coração enganoso e toda esta luta pelo novo resultará em mais caos. Enganoso é o coração, mais do que todas as coisas, e perverso; quem o conhecerá? Jeremias 17:9 E não sede conformados com este mundo, mas sede transformados pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus. Romanos 12:2 Porque eu bem sei os pensamentos que tenho a vosso respeito, diz o Senhor; pensamentos de paz, e não de mal, para vos dar o fim que esperais. Jeremias 29:11 Como então o mesmo executivo usado como exemplo neste capítulo deveria agir? Simples. Ele deveria apenas cuidar de seu jardim e cultivá-lo. O seu pedido a Deus referente à sua promoção seria o suficiente. Deus ouve atentamente os nossos pedidos. E, tudo o que pedirdes em oração, crendo, o recebereis. Mateus 21:22 É maravilhoso ter um Pai que chama a responsabilidade para si quando o assunto é o impossível ou o novo. Jamais devemos buscar a independência de Deus. Pelo contrário, busque depender totalmente Dele. Voltando ao executivo, o correto seria continuar trabalhando oferecendo um serviço de qualidade e mantendo comportamento exemplar no ambiente de trabalho. Neste caso, não haveria desespero, pressa, guerras e, o mais importante, não haveria ansiedade. A vida seguiria como ela é, mas em ritmo tranquilo. Seria como descansar em verdes pastos. Em verdes pastagens me faz repousar e me conduz a águas tranquilas. Salmos 23:2,3 Observe a sua vida hoje. Para onde você está indo? Pelo quê está lutando? Tem trabalhando para manter belo as flores do seu jardim ou tem caçado furiosamente novas espécies de flores para satisfazer caprichos do ego? Eis a diferença entre o plantio e a busca pelo novo. Quer novas flores? O que te impede de as pedir ao Pai? Deus me revelou estas verdades enquanto eu pensava em novas formas de aumentar a minha renda. Por momentos pensei que esta mudança dependia exclusivamente de mim e eu estava falhando miseravelmente em algo. Este achismo consumia-me por dentro. Foi então que o Senhor me fez entender que eu não devia, em hipótese alguma, me desesperar. Eu precisava apenas me ocupar em cuidar daquilo eu havia plantado e nunca duvidar de que a boa colheita viria. Deus não se agradou diante da situação em que eu estava. A luta ferrenha por novas formas de ganhar dinheiro me inseriam no mar da ansiedade. Eu buscava intensamente estas novidades enquanto eu também as pedia ao Pai. Entendi que aquilo que o meu braço não alcança é a área Dele. Nesta zona escura é Ele quem manda. Eu apenas obedeço e confio. Agora tenho cuidado com mais carinho daquilo que já tenho. Sem desespero, sem aflição, sem medo. Do amanhã é o meu Pai quem cuida. O amanhã é o novo, o hoje é cuidado. Trechos do livro: A Ansiedade e o Jardim em Mim

Deixar uma resposta