Pular para o conteúdo

Ódio na Bíblia: Descubra a Verdade!

    Várias pessoas afirmam que a Bíblia faz discurso de ódio. Alguns chegam a defender a ideia de uma modernização das Escrituras através de uma versão reescrita. Paira sobre alguns a dúvida: a Bíblia faz discurso de ódio? Se sim, como e contra quem? Onde encontramos ódio na Bíblia? Entenda agora – de uma vez por todas – a verdade.

    Ódio na Bíblia? A Bíblia Faz Discurso de Ódio? Saiba a Verdade!

    Leia livros gratuitamente através dos canais do autor no Whatsapp e Telegram e do aplicativo oficial do autor!

    Ódio na Bíblia: Qual é a Alegação?

    Uma ótima estratégia para combater a mentira é ouvir cautelosamente o mentiroso. Anotamos os falsos argumentos a fim de encontrarmos falhas lógicas e pontos relativos. Usando essa tática, iniciamos a nossa análise sobre o tema. Qual seria então o discurso de ódio presente nas Escrituras Sagradas?

    De acordo com os defensores dessa ideia, a Bíblia promove discurso de ódio ao afirmar que algumas práticas são pecaminosas e isso, consequentemente, gera ódio no coração dos seus leitores. Capítulos como 1 Coríntios 6 ou Romanos 1 são, muitas vezes, alvos dessas alegações.

    Essas acusações realmente fazem sentido?

    As Falhas Lógicas

    O argumento que defende a ideia de que a Bíblia é um livro que estimula o ódio é inválida e não tem fundamento algum. Pelo contrário, as Escrituras nos ensinam insistentemente a importância do amor e do perdão.

    ³⁹ O segundo [mandamento] é igualmente importante: ‘Ame o seu próximo como a si mesmo’.

    Mateus 22:39

    ¹⁴ “Seu Pai celestial os perdoará se perdoarem aqueles que pecam contra vocês.
    ¹⁵ Mas, se vocês se recusarem a perdoar os outros, seu Pai não perdoará seus pecados.”

    Mateus 6:14,15

    Perceba que sequer seremos perdoados se não liberarmos perdão. Como é possível encontrarmos ódio nessas palavras? Definitivamente a Bíblia não é “o livro do ódio”. Vejamos mais.

    Além do amor e do perdão, somos incentivados a combater a maldade com a bondade.

    ²¹ Não deixem que o mal os vença, mas vençam o mal praticando o bem.

    Romanos 12:21

    Se devo usar o bem diante da manifestação do mal, não há brecha para o ódio, mas sim para o amor.

    Não faz sentido alegar que a Bíblia é um livro que estimula o ódio se, na realidade, em inúmeros versos, ela nos diz que não devemos fazer acepção de pessoas nem ignorar os excluídos da sociedade.

    ² Se, por exemplo, alguém chegar a uma de suas reuniões vestido com roupas elegantes e usando joias caras, e também entrar um pobre com roupas sujas,
    ³ e vocês derem atenção ao que está bem vestido, dizendo-lhe: “Sente-se aqui neste lugar especial”, mas disserem ao pobre: “Fique em pé ali ou sente-se aqui no chão”,
    ⁴ essa discriminação não mostrará que agem como juízes guiados por motivos perversos?

    Tiago 2:2-4

    ¹¹ Pois Deus não age com favoritismo.

    Romanos 2:11

    Ou seja, as minorias que acusam as Escrituras nesse sentido, mal sabem o quanto são defendidas nas páginas da Bíblia. O cristão é induzido a não excluir as minorias, mas a praticar o amor acolhedor.

    Quanto àqueles que estão entre, por exemplo, os que praticam algum pecado citado na lista de 1 Coríntios 6:9, mesmo tendo suas práticas condenadas, são vistos como pessoas que precisam ser amadas e cuidadas intensamente pelos filhos de Deus.

    Há uma frase dita por muitos que diz: odiamos o pecado, mas não o pecador. Paulo escreveu algo parecido em Efésios 6:12.

    ¹² Pois nós não lutamos contra inimigos de carne e sangue, mas contra governantes e autoridades do mundo invisível, contra grandes poderes neste mundo de trevas e contra espíritos malignos nas esferas celestiais.

    Efésios 6:12

    A luta do cristão não é contra seres humanos mesmo que esses sejam declaradamente nossos inimigos. Além de não lutar contra inimigos, devemos amá-los.

    ⁴⁴ Eu, porém, lhes digo: amem os seus inimigos e orem por quem os persegue.

    Mateus 5:44

    Não importa o pecado cometido, pois jamais devemos odiar o pecador. O pecador pode ser limpo pelo sangue de Jesus e ter seu pecado anulado. Por isso, enquanto o pecador estiver vivo, a salvação pode chegar até ele. Se o odiarmos, é como se fechássemos a porta do Reino para ele. As portas do Reino estão sempre abertas para o pecador arrependido.

    ³² Não é meu desejo que morram, diz o Senhor Soberano. Arrependam-se e vivam!

    Ezequiel 18:32
    A Bíblia Faz Discurso de Ódio? Saiba a Verdade!

    Ódio na Bíblia: Conclusão

    As Escrituras nos mostram os caminhos pecaminosos da existência humana. Os que amam viver como querem no mar ilusório dos prazeres temporários deste mundo, certamente se ofenderão com a condenação do pecado. Pouquíssimas pessoas sabem lidar com duras verdades e a Bíblia está repleta delas.

    Entretanto, jamais podemos dizer que a Bíblia promove o ódio. Afirmar que uma prática é pecado não é o mesmo que ordenar a morte do pecador. O Pai constantemente nos alerta sobre os caminhos de destruição que o pecado gera. Isso não é ódio. Isso é amor. Sábio é aquele que ouve.

    Em suma, as Escrituras nos dizem: o pecado deve ser odiado e abandonado, enquanto o pecador, amado e restaurado. Amém!

    Receba mais conteúdos através dos canais: